24/01/10

são domingos de cafés (4)


A Balalaika é um dos "meus" cafés de Domingo. E pequeno e familiar, por vezes da a sensação de estarmos em casa das pessoas que la trabalham. Nos dias de Verão, a esplanada esta cheia. Tem a vantagem de estar à sombra no pico do calor e, apesar de ficar à beira da Estrada de Benfica, (talvez uma das mais barulhentas de Lisboa), distrai as vistas porque vai sempre passando alguém conhecido que conta as novidades ou se vai juntando à volta da mesa. Atras das vitrines, os bolos chamam por nos, parecem sempre frescos e têm um aspecto delicioso... o sabor não fica atras... é o caso da piramide de chocolate com uma cereja cristalizada no topo que la comi recentemente. Uma delicia, e um sabor cheio de recordações... digam o que disserem sobre estas piramides e os restos de bolos do dia anterior. Deixamos o interior para os dias de chuva onde os casais idosos vêm beber o cha. La dentro é apertado, as mesas são pequenas, mas a vitrine/janela deixa ver a Estrada e enquanto conversamos olhamos la para fora...

Esta fotografia foi tirada por acaso, e apanhou uma das personagens e Benfica, "o poeta". Não sei se era "o poeta" para o nosso grupo de amigos ou se ele era assim conhecido no bairro. Frequentavamos muitas vezes os mesmos cafés e fico contente por tê-lo apahado na fotografia, neste dia que passei em frente à Balalaika. Anos depois, ha coisas que continum na mesma, pessoas que continuam nos mesmos sitios, sentadas nas mesmas esplanadas...

1 comentário:

Carlos Dias disse...

Conheci a " Balalaika " pelos s anos 50 . Café, com salão de cha, bque se situava num piso superior existente à direita de quem entrava. Estabelecimento bastante agradável, familiar ! Na altura aberto até altas horas.... Outros tempos.