13/06/14

Os putos da minha rua




Quase 40 depois ainda vivo na rua onde nasci e decerto que ha quem viva aqui ha muito mais tempo do que eu. Ruas assim, com vizinhança que vive no mesmo prédio desde sempre, que viram crescer os filhos e os netos, os seus e os dos vizinhos parece que ja ha poucas. Mas a minha ainda esta de pé e viva. Provas disso ha muitas, mas a mais recente é a festa de Santo Antonio organizada ontem pelo putos que andavam de bina, conversavam à porta dos prédios até às tantas da manha, jogavam futebol "la atras" e basquete no campo do parque. Estes putos cresceram, sao adultos, agora, e quase que nao conseguem sair da daqui. Uns sairam, vivem em prédios ou casas de outros bairros, mas regressam sempre à Montepio Geral, para falar com os amigos, para visitarem os pais. Aqui encontra-se sempre alguém, sabe-se sempre das novidades. Ha tempo. Tratam os comerciantes pelos nomes proprios e por tu, viram lojas abrir e a fechar vêm lojas que, estoicas, mantêm as portas abertas, tiveram filhos ou vêem os filhos dos amigos crescerem. Talvez estes novos putos peguem nesta pequena aldeia no centro de Lisboa e nao deixem acabar festas como as de ontem. Uns mobilizaram-se para a organizaçao, era preciso arranjar mesas e cadeiras, fazer as compra... todos os anos a festa cresce. Muita gente, cheia de boa disposiçao de volta das bifanas, dos chouriços, das sardinhas, os grelhadores a fumegarem toda a noite, a comida sempre a sair, bebidas frescas. A rua decorada, uma banda especial que cantou e encantou os montepioenses e muita gente a conversar e a dançar. As maes, as irmas e as namoradas fizeram as sobremesas, os escuteiros trouxeram os manjericos e como o primeiro jogo do mundial começava exactamente no dia dos Santos Populares, nao faltaram as televisoes, emprestadas pelos vizinhos em ligaçoes improvisadas. Tinhamos tudo aqui, numa Rua de S. Domingos de Benfica e nao tinhamos confusao. Pode nao parecer, mas organizar uma festa assim, mesmo que seja so para uma rua pequena requer uma grande trabalheira, mas esta festa so foi possivel graças à generosidade de todas as pessoas que para ela contribuiram, com tempo, muito boa vontade e uma optima disposiçao. Quando viemos embora eram quase 3 da manha e os "putos" ainda ficaram na rua, para arrumarem tudo e tenho a certeza que a esta hora ja estao a pé… ou ainda estao a pé…

Ontem falaram-me em cerca de de 200 pessoas, mas eu acho que la estavam mais. No final da festa houve um agradecimento mais do que merecido a todos os que ajudaram a que esta festa fosse possivel e houve um brinde importante à felicidade!

Quando me lembro disto tudo, penso no evoluir das coisas, que os putos ja nao andam a brincar na rua, que ja nao se lhes poe alcunhas e penso em como eles sao importantes para a vida do bairro, para um bairro seguro, para um rumo nas vidas. Gosto da minha rua por isso tudo, ha sempre alguém que assobia la fora para chamar o outro, ha sempre alguém que passa de carro, apita e acena e gosto do facto de este quarteirao ter um campo de futebol e outro de basquete. Isto, que parece tao pouco é tao importante para o rumo de alguns miudos.

Tchim tchim! Um brinde aos putos do bairro, que eles existam sempre!

4 comentários:

Cristina Pereira disse...

Eu estive lá ontem como nos anos anteriores e só posso dizer:

5*****

Eduardo disse...

Só para avisar que o seu teclado não está bom. Coloca alguns acentos e esquece-se doutros. Claro que não vai publicar este comentário mas pelo menos fica a saber da avaria.

J. disse...

Pois foi Cristina :)

J. disse...

Bom dia Eduardo,

Agradecemos o aviso e o interesse em partilhar connosco os seus conhecimentos informaticos e ortograficos. Lamento informar que nao se trata de uma avaria, este teclado é um azerty e nao tem a acentuaçao portuguesa, pelo que escrever um post grande, por vezes, faz-me dar prioridade ao conteudo do texto em detrimento da forma. Sao escolhas. As palavras que têm acentos é porque eles ja estao feitos no computador ou porque ele os assume automaticamente para alguns vocabulos.
Em todo o caso é muito interessante perceber qual é o olhar dos nossos leitores sobre os posts. Apreciamos a critica, so nao gostamos da ma educaçao, por isso, como vê, tem o seu comentario publicado.

Esclarecimento dado, desejo ao Eduardo um fim-de-semana feliz!