22/01/11

A escola 110

O post do João Xavier sobre o Professor Martins e as eleições de amanhã recordaram-me os meus quatro anos na escola 110, a lendária escola das escadinhas. :) Um porque me lembrou a D. Ângela (a minha professora primária) e as segundas porque aí retornarei amanhã para, a par do dever de cidadania, me deslumbrar com um pequeno museu que guarda zelosamente acessórios do meu tempo. (Finjo ignorar a possibilidade de me tornar também uma peça de museu!) Sim, porque nem o mobiliário é o mesmo ( adorava as secretárias de madeira com o tampo de dobradiças!) e os recursos já são outros. Ainda assim, não resisto à onda de saudosismo que me invade, afinal eu fui feliz ali e a memória guarda alguns desses momentos, mais que não seja as brincadeiras na hora do recreio ou os preparativos para a festa de Natal ou do final do ano.

Chegar à 110 implicava alguns riscos e muito esforço. Eu morava na rua do mercado de S. Domingos e lá seguia, em grupo de cinco ou seis, sem a supervisão de um adulto ( outros tempos... todos os pais já tinham seguido para os seus empregos), rua acima, depois de atravessar a Estrada de Benfica, a guardar o fôlego para subir as escadinhas.

Recordo o meu primeiro companheiro de carteira, do clã Partidário, o meu primeiro bilhetinho de amor (que me deixou vermelha que nem um tomate), os ditados, a cantilena da tabuada, os projectos de Meio Físico, as composições e os trabalhos manuais, as declamações de poemas e os teatrinhos, as cantigas de roda, o elástico, a corda, o mata, o toca e foge, Simão diz, o macaquinho do chinês, o lenço, a cabra-cega... e tantas outras das quais guardo uma vaga lembrança. Algumas eram motivo de torneio, quer no recreio, quer mais tarde, já na Cecília Meireles, depois do lanche, quando as mães podiam ir deitando o olho às brincadeiras de rua.

Amanhã lá estarei para cumprir o meu dever cívico. Lá verei o menino de pedra a guardar o portão da entrada da António Nobre, sempre concentrado na sua leitura; lerei as composições dos meus "novos colegas" de classe, verei os seus projectos e os seus sucessos registados nas tabelas da sala e espreitarei para o recreio, quase ouvindo os gritos das muitas crianças que ali têm passado. Às vezes bem me apetecia poder "fazer de conta" que era a Maia do Espaço 1999 e transformava-me noutra coisa, mais conveniente às circunstâncias e aos desafios do momento.

Este texto tem duas dedicatórias.
A primeira à D. Ângela, minha professora, que me ensinou a arte de contar histórias e a gostar de partilhá-las. A segunda à Fia, à Paula e ao Xico, à Fatinha e à Isabel, às Carlas, à Guilhermina e ao Carlos, à Natércia, à Teresa, ao Pedro e à Sandra, meus companheiros de brincadeiras na Cecília Meireles.


.

2 comentários:

J. disse...

Cristina,

Este texto deixou-me à beira das lagrimas... ha lugares assim em que no momento presente não nos damos conta que ficarão guardados na nossa memoria e no nosso coração para sempre... adorei esta lista de jogos que faziamos quando eramos pequenos... outros tempos, sim, em que não havia telemoveis, playstations, consolas e penso que ainda nem sequer havia o zx spectrum com o phenix e o pac-man... é tão bom haver professores, amigos, vizinhos, colegas de escola assim a quem possamos dedicar textos tão bonitos como este!

Não conheço a professora a professora Angela, nem o professor Martins porque nunca andei na 110 nem na Pedro Santarém mas deixo-lhes um abraço por serem uma fonte de inspiração e fazerem com que este blog tenha magnificos colaboradores!

João Xavier disse...

Cristina

Antes de mais parabéns pelo seu belíssimo texto e o meu obrigado por se dispôr a dar-nos os ambientes e as vivências da sua escola e deste nosso bairro, através dos seus olhos de agora mas também com os olhos de dentro da sua infância. A minha escola primária não foi a escola das escadinhas, conhecida então pela "Escola da Câmara" mas conheci-a passados anos por razões profissionais na formação de professores, já com longas carreiras, tendo ficado com boa recordação das pessoas e de um espaço agradável. O meu sobrinho entrou este ano para o 1º ano...